TOP 3 – Pagode de corno

Dizem que todo mundo um dia sofrerá com as mágoas de um coração partido. Se você ainda não foi um vítima deste mal, seu dia virá. E quando vem, as reações do ser humano são as mais diversas. Uns se afogam na bebida, outros saem pegando qualquer uma pra tentar esquecer a dita cuja e ainda há aqueles que simplesmente entregam o problema na mão do tempo e aguardam toda essa tristeza passar.

Seja qual for seu tipo, nessas horas nos sentimos isolados do mundo. E é por isso que é sempre bom ouvir e encontrar conforto nas história daqueles que já passaram por isso e sobreviveram. E é aí que entra um dos estilos musicais mais nobres e consagrados em terras tupiniquins: o tão aclamado pagode de corno, que ganhou força e teve sua época de ouro nos anos 90.

Sim, amigo, não adianta negar. Todo mundo já se identificou com um pagode de corno.

Exaltasamba – Eu me apaixonei pela pessoa errada


Muito antes de Thiaguinho, muito antes de Adele, muito antes do Kinder Ovo custar esse absurdo, muito antes de muita coisa, o Exalta lançou aquela que seria o hino do amor não correspondido. E aproveito pra dizer: Volta, Chrigor!

Karametade – Convite de casamento


“Convite de Casamento” é a clássica história do amor de infância que não teve um final feliz, diferente do que Hollywood nos ensinou. Essa canção sem dúvida levou o Karametade ao honorário posto de melhor grupo de pagode com gêmeos entre seus integrantes. Depois do Só Pra Contrariar, é claro.

Raça Negra – É tarde demais


“É Tarde Demais” mostra o outro lado. O do cara que cansou de tomar bola nas costas da mulher, e agora diz ter superado toda história. Mas todos nós sabemos que ninguém faz música pra alguém que já superou.

BONUS TRACK: Molejo – Amor estou sofrendo


Por trás de toda brincadeira de criança, há algum tipo de dor – já dizia Bob Dylan